Menu Horizontal

29 maio 2015

SAF - Mad Max: Estrada da Fúria

Heeeelloooo, pessoas lindas! 
  Estou envergonhada por não postar há tanto tempo. Nem me lembro mais como se faz. Acho que perdi a mão, mas vamos ver se sai algo decente. Terça-feira foi minha primeira experiência indo ao cinema by myself, e devo dizer que é bom demais. Ninguém falando, comentando, só o som das explosões e gritos e mortes.
  Mas vocês não querem saber disso, então vamos ao que interessa!


  Max é um sobrevivente das estradas que é capturado por Immortan Joe, uma espécie de imperador da chamada Cidadela. Neste mundo pós-apocalíptico há os humanos e os meia-vida, seres magros, loucos, com a pele mais branca que a da minha melhor amiga e que precisam do sangue dos "vida íntegra"(os humanos que acabei de falar) para sobreviver. Pouca água está disponível e o que resta fica nas mãos de Immortan Joe(adorei repetir esse nome). A Cidadela é composta por ele, pelos guerreiros meia-vida, chamados de War Boys, os outros pobrezinhos que morrem de fome e sede, os filhos de Immortan Joe(bugados) e as mulheres que são usadas como escravas sexuais para gerarem filhos saudáveis. 
  Quando Furiosa esconde as jovens futuras mães na Máquina de Guerra e foge com elas, toda a cavalaria de Immortan Joe vai atrás do seu pescoço. Além disso, mais dois "exércitos" estão atrás dela. Max é usado como uma bolsa de sangue portátil para um dos meia-vida, o doidinho Nux, mas consegue escapar e acaba por se juntar à Furiosa e sua gangue de buchudas. O resto é história...


... que, devo dizer, às vezes me deu vontade de gritar: WTF??
  No começo, não entendi nada e fiquei com cara de paisagem, depois gostei, depois fiquei entediada e aí gostei de novo. Como já disseram e minha professora de alemão reproduziu: "É um Velozes e Furiosos no deserto". Com muito mais mortes, claro, e uma banda que acompanha toda a porradaria.


   Tipo, tem carro explodindo, meia-vidas suicidas se jogando nos carros para destruí-los, fogo para lá, fogo para cá, gente gritando e aí... isso. Até achei engraçado, mas fiquei muito apática quando vi pela primeira vez. Tanta coisa acontecendo e eles tendo tempo de tocar musiquinha para acompanhar a estrada. Não sei como ninguém explodiu aquilo, mas ok.

  Foi o primeiro Mad Max que assisti e, de modo geral, posso dizer que gostei. Tem partes engraçadas e muita ação. Gosto muito de explosões. E, acredite se quiser, tem até espaço para um romancezinho meio do nada.
  Dou quatro carrinhos explodindo em uma escala de cinco. Foi agradável. Não tão agradável quanto a pipoquinha que eu estava comendo, mas como sou gulosa não podemos levar isso tão a sério.
  Daqui a alguns dias teremos resenha nova, romance, então fiquem atentos.
  Não deixem de seguir o blog, seja no face, google+ ou até se inscrevendo aqui. Sua curtida é o nosso estímulo :P

Por hoje, é só. Espero que tenham gostado e ficado com vontade de assistir.
Até a próxima, bitches!
XOXO

2 comentários :

  1. Não sou muito fã de filmes de ação, mas fiquei feliz que o George Miller voltou para mostrar como se faz um filme decente de ação. Mal posso esperar pela continuação!

    Abração!
    www.quadro42.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. George arrasou, né?
      Também não me aguento de ansiedade. Tantos lançamentos maravhilosos em breve e eu só ficando mais pobre aqui ;-;
      Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...