Menu Horizontal

03 março 2015

Resenha: O Chamado do Cuco - Robert Galbraith(J.K.Rowling)

Fala, galerinha!
  Morte Súbita deixou um gosto horrível na minha boca e eu estava com um pé atrás ao pegar O Chamado do Cuco. Verdade seja dita, eu nem lembrava que o tinha comprado... Mas, porém, todavia, contudo, o resultado final foi ótimo e devo dizer: J.K.Rowling não é somente Harry Potter!
  Mas vamos ao que interessa!

Sinopse: Quando uma modelo problemática morre numa queda de uma sacada da Mayfair coberta de neve, supõe-se que ela tenha cometido suicídio. O irmão, porém, tem suas dúvidas e pede ao detetive Cormoran Strike para rever o caso.
  Strike é veterano de guerra - ferido física e psicologicamente - e sua vida é uma confusão. A investigação lhe dá um salva-vidas financeiro, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no complexo mundo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas - e mais perto ele chega de um perigo terrível.
  
Editora: Rocco
Nº de páginas: 448


  A história gira em torno de Cormoran Strike - ex-militar e agora detetive particular - buscando a verdade sobre o suicídio da famosa modelo Lula Landry. O meio-irmão desta, John Bristow, procura Strike pois pensa que ele, como amigo de seu falecido irmão, seria o homem ideal para investigar toda essa confusão. Strike, no início, receia aceitar o caso, mas acaba cedendo, tanto por Bristow oferecer uma quantia generosa pelo seu serviço, quanto pelo desespero do homem pesar em sua consciência.
  Robin, uma bela jovem que acaba de noivar, trabalha para a Temporary Solutions, uma empresa de secretárias. O primeiro encontro dela com Strike foi chocante. Literalmente. Assim que ela está para entrar no escritório do detetive particular, ela quase esbarra numa mulher, que sai apressadamente. Recuperando a compostura e preparando-se para entrar, Robin pretende seguir seu caminho até que Strike abre a porta com tudo e eles se chocam, ela escapando por pouco de uma queda feia. Eles não se dão bem logo de início, mas com o tempo começam a se entender. Robin, que esperava sair o quanto antes daquele emprego e ir para um entrevista de emprego "de verdade", vê-se entre satisfazer seu marido e dar o fora dali, e continuar na tarefa que se mostrou incrivelmente emocionante de ser secretária de Strike.
  Apesar de sentir que há algo estranho com o detetive - principalmente o fato dele morar no escritório -, ela não se atreve a invadir sua privacidade. Strike gosta disso nela e vagarosamente passa a respeitá-la. Os dois acabam por formar uma bela dupla. Quase tão unidos quanto Batman e Robin(ba-dum-tss).
  Conforme a investigação procede, ambos ficam convencidos de que Lula Landry não cometeu suicídio, e o pior... A verdade que se aproxima parece cada vez mais feia e perigosa.

Me arrependi muito de ter demorado tanto para ler... mas tudo culpa da J.K., que cagou em Morte Súbita. A história é envolvente, bem escrita e, sinceramente, eu tenho uma tara por separação em partes. Aconteceu com A Passagem, Os Doze, O Chamado do Cuco, e vai continuar acontecendo com qualquer livro que tiver. Estranho, eu sei, mas cada um com suas manias, certo?
  Adorei as personagens! Gosto muito do Myron Bolitar, criado pelo Sir Harlam Coben, mas o Strike me conquistou. Ele é rabugento, grosso, mas tem um coração de ouro. Dá peninha dele várias vezes. A Robin, em contrapartida, é bem-humorada, divertida e dá seu máximo para conquistar o respeito do Strike. Além disso, nas próprias palavras dele, ela é um "gênio"! #girlpower, bitches.
  O Guy Somé, que aparece lá para o meio do livro, também é muito épico. Ele se tornou meu queridinho no primeiro capítulo que apareceu. É super sarcástico, convencido, safadinho, e eu me comovi pelo carinho dele com a Lula. A mãe dela é uma puta, me dá nos nervos, chego a trincar os dentes. Ô mulherzinha detestável.
  O livro tem muitas palavras difíceis e tive que parar algumas vezes para procurar no dicionário o significado. Desculpe a minha burrice. Gostei que, para um romance policial, tem muitas páginas. Creio que pela J.K. ser bem detalhista e focar não somente no caso, mas na vida das próprias personagens. Curti muito esse lado. 
  É legal também ver a evolução das personagens, seus relacionamentos e tudo o mais. Outro detalhe que senti e achei bem interessante: pegando os romances do Harlam Coben novamente como exemplo, enquanto ele nos dá dicas e nos instiga a pensar bastante e descobrirmos o assassino sozinhos, a J.K. nos leva a uma viagem junto com o Strike, em que, assim como ele, não temos ideia de quem é, e, conforme a trama se adensa, nossa cabeça dá um clique na mesma hora que a dele, e ficamos:
"Verdade, agora faz sentido. Era isso que faltava! Deve ter sido ele, vamos investigar mais". 
  Pelo menos comigo foi assim, não sei vocês.
  O final é... surpreendente, acho que esse é um bom adjetivo. De tirar o fôlego. Incrível. Fiquei puta -.- apesar de ter achado muito bom.
  
  Preciso comprar para ontem O Bicho da Seda! Dou quatro varinhas para esse livro e, se você não gostar e vier falar isso na minha cara, quatro Avada Kedavra! Mas, claro, cada um tem direito a uma opinião diferente...........

Espero que tenham gostado e peguem para ler. Se tiveram o desprazer de encontrar Morte Súbita antes e ficaram com medo de ler outro livro da diva J.K.Rowling, digo de coração que ela se redime completamente. Deixei Morte Súbita para trás, em um passado muito distante. 
Tia J.K., a senhora está perdoada e é destruidora mesmo!

Por hoje é só. 
Até a próxima, bitches!
XOXO

PS: a obra será adaptada para série de TV pelo canal americano BBC. Vale a pena conferir!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...